Testes para o 5G alcançam velocidade de 10 Gbps no Japão
fevereiro 27, 2013
0

Enquanto na Mobile World Congress, em Barcelona, discute-se sobre a necessidade de maiores recursos e espectro para a banda larga móvel, o Japão se adianta para conseguir novas tecnologias de transmissão de dados. Cientistas conseguiram, pela primeira vez a céu aberto, transmitir pacotes a 10 Gbps em uma conexão móvel. O feito, divulgado nesta quarta, 27, foi conseguido pela NTT Docomo com o Instituto de Tecnologia de Tóquio na região de Okinawa em dezembro do ano passado utilizando 400 MHz de largura de banda na faixa de 11 GHz. Os dados foram transmitidos para uma estação em movimento numa velocidade de aproximadamente 9 km/h. Foi o mesmo experimento realizado há seis anos, quando a operadora japonesa conseguiu 5 Gbps.

Os testes abrem caminho para um futuro padrão 5G, que poderá mudar a forma de utilização e de consumo de conteúdo na banda larga móvel. Segundo a NTT Docomo, as tecnologias empregadas serão aplicáveis a transmissões de pacotes em situações controladas, sugerindo que seria possível chegar à velocidade de 10 Gbps – cem vezes maior do que a velocidade teórica máxima da rede LTE atual.

A tecnologia de antenas MIMO foi utilizada para espaçar faixas de dados usando oito antenas transmissoras e 16 receptoras na mesma frequência. A NTT Docomo quer alcançar a velocidade de 10 Gbps em bandas com frequência “super altas” que excedem 5 GHz. Mas há um desafio técnico. Essas frequências altas são difíceis de operar em redes móveis por conta das distâncias limitadas que as ondas conseguem alcançar. É por isso que a rede LTE no Brasil, que usa o espectro de 2,5 GHz, demanda mais antenas do que a faixa de 700 MHz.

A operadora japonesa afirma que os resultados dos experimentos foram apresentados nesta quarta-feira a um comitê técnico do Instituto de Engenharia Eletrônica, de Informação e de Comunicação na Universidade Waseda, em Tóquio. O teste foi conduzido em um programa com o apoio do governo japonês para pesquisas em desenvolvimento de expansão de recursos de espectro. Vale lembrar que o caminho natural de evolução das redes LTE (4G) é o LTE Advanced, que ainda não se sabe se será classificado como 5G ou 4,5G, tecnologia esta que é padronizada e que não se confunde com os testes japoneses.

Fonte:http://www.mobiletime.com.br/