Cisco anuncia plataforma para a “Internet de Todas as Coisas”
setembro 30, 2013
0

Tecnologia permitirá que provedores de serviços de rede criem novos fluxos de receita, simplificando operações de tráfego.

Com o tráfego da web crescendo rapidamente em meio às novas ondas de aplicativos para nuvem,  mobilidade,  vídeo e máquina-a-máquina (M2M), a Cisco apresentou o Sistema de Convergência de Rede (Cisco Network Convergence System – NCS), projetado para servir de base para uma internet altamente escalável, mais inteligente e mais adaptável.

Segundo a fabricantes, grandes provedores de serviços globais – incluindo Sky, KDDI e Telstra – estão instalando o Cisco NCS para criar novos fluxos de receita, simplificar as operações e proporcionar novas experiências customizadas para seus clientes.

As capacidades de programação e virtualização do sistema permitem aos provedores de serviços acelerarem a transição para o software defined networking (SDN) e  network function vitualization (NFV).

Os recursos do NCS, muitos deles lançados ontem (24/09, permitem às operadoras não apenas facilitar o crescente tráfego de rede, mas também aproveitar a oportunidade criada por trilhões de eventos programáveis gerados por dispositivos que devem entrar online ao longo dos próximos anos.

Esses eventos, gerados pela conexão em rede de pessoas, dados, processos e coisas, conhecido como “Internet de Todas as Coisas (IoE – Internet of Everything), exigem que as redes aumentem sua escala não apenas em largura de banda, mas também em funções de computação e controle para gerenciar políticas e respostas às mudanças, com os resultados certos no prazo esperado.

O NCS foi desenhado para facilitar os eventos da IoE que podem ser “conversas” em andamento, criadas da interatividade entre pessoas, aplicativos e dispositivos, como monitores de saúde ligados a informações pessoais, portais de saúde baseados na nuvem ou carros conectados ao 4G LTE,  sinalizando que um motorista está quase em casa e levando a rede doméstica a ajustar a temperatura e iluminação de sua residência.

Fonte: www.computerworld.uol.com.br/